Olá de novo, gente! Venho aqui dessa vez com uma resenha de um filme especial... Marcou muito minha vida e a vida de minha esposa. Poucas pessoas conhecem o filme e a história dele - pelo menos quando pergunto a alguém, a maioria diz que nunca viu -. Aqui vai:



Gênero: Drama
Direção: Ron Howard
Roteiro: Akiva Goldsman
Duração: 134 min.
Ano: 2001
País: Estados Unidos
Estúdio: DreamWorks SKG / Imagine Entertainment / Universal Pictures
Classificação: 12 anos





























Uma Mente Brilhante (A Beautiful Mind) retrata a bela história de vida do matemático John Nash, cujas idéias influenciaram as teorias econômicas, a biologia da evolução e a teoria dos jogos. Nash (como eu o chamo, hehe) se destacou como um brilhante matemático, inteligentíssimo, mas sofre com um grave problema que a maioria não conhece muito bem... Ele tem a doença chamada de esquizofrenia. A história começa com o início de Nash na Universidade de Princenton quando ganhou uma bolsa de estudo em setembro de 1944; ele não era uma pessoa muito sociável, tinha um comportamento cômico e estranho, sempre criticava os trabalhos desenvolvidos pelos outros colegas de curso. Esses mesmos colegas sabiam que ele era super inteligente, mas devido ao seu jeito estranho no trato com as pessoas, Nash era sempre alvo de gozações (isso me entristece muito). No início do curso ele conhece seu colega de quarto, Charles, e o mesmo passa a ajudá-lo em muitas situações chatas. Nash era um tanto ambicioso, ansiava reconhecimento do meio científico e logo passou a buscar veementemente uma "idéia original" em que pudesse se destacar. Isso acabou se tornando um ciclo vicioso. 


Foi num bar, enquanto se divertia com seus amigos, que a inspiração para a sua “idéia original” apareceu. A teoria de jogos não corporativos, uma teoria que contradizia 150 anos do reinado de Adam Smith, o pai da economia moderna. Esse fato fez com que ele conseguisse um trabalho de pesquisa no Laboratório do MIT. Logo após se formar, Nash foi trabalhar no Laboratório do MIT e por aí seguiu construindo sua vida, até o ponto em que passou a confundir o que era real com o que era ilusão. O filme é muito interessante! Ao mesmo tempo em que apresenta o grande talento e o envolvimento de Nash com a matemática, revela também, os sintomas da esquizofrenia e seus desdobramentos. Mostra o quanto uma pessoa com essa doença sofre e também nos ensina que não devemos julgar nosso próximo, por mais que esse alguém sofra com um grave problema (que pode ser tratado).


Terminando o resumo: Nash, sempre com o apoio de Alicia, sua esposa e companheira, e como um meio de curar-se da esquizofrenia, voltou à Universidade de Princenton, sendo recebido por um antigo amigo que o autorizou a frequentar e retomar suas pesquisas. Essa oportunidade o ajudou muito e com o tempo, Nash conseguiu controlar a si mesmo e demonstrava uma grande recuperação. Em 1994, ganhou o prêmio Nobel de Economia, o tão desejado reconhecimento pela sua importantíssima contribuição em Teoria dos Jogos, que foi aplicada a diversas áreas. John Nash buscou pela sua "idéia original", superou seus problemas, buscou ajuda e mesmo com toda dificuldade, ganhou o que sempre sonhou: reconhecimento. Todos sabiam que ele era portador de esquizofrenia, e, ainda assim, o respeitavam e amavam muito. Essa história foi inspirada no verdadeiro John Nash, falecido há pouco tempo (uma notícia que me entristeceu muito). Meus aplausos são para ele! Um verdadeiro gênio a gente reconhece por seus esforços. Beijinhos, espero que curtam e aqui vai um trailer do filme (o único que achei legendado, só pra facilitar, hehe):



Um Comentário

  1. Da para acreditar que ainda não vi esse filme??
    Estou fazendo uma lista de filmes que tenho que assistir!!
    Esse já está nela!! Adorei seu post!

    ResponderExcluir