Durante esses dias que por motivos de força maior tive de me ausentar daqui, me peguei pensando bastante nos livros da minha estante que esse ano comecei e deixei de lado.
  Pensei em como se escreve muito sobre resenhas finais, sobre livros lidos até sua ultima letra carimbada na ponta da orelha direita, sendo ele bom ou péssimo, mas quase ninguém fala desses que estão esperando por sua conclusão. Falam quando criam coragem e o fazem. 
  Então criei essa TAG: APOSENTEI UM LIVRO! 
  Não sou uma cobra maléfica que abandona todos os livros, me sinto péssima fazendo isso por sinal, mas me vi em uma situação engraçada onde os livros que deixei foram alguns dos mais bem quistos por vocês. 
  Pretendo abordar o tema de uma forma mais clara em um vídeo no canal (que vai sair em breve, CADÊ OS FOGOS?) então vocês vão entender isso melhor na prática e por lá! Haha
  Mas basicamente vou descer a lenha, ou não, em algumas obras que deixei em segundo plano para quando estiver disposta para continuar, e contar com a ajuda/opinião de vocês para entender se com tal título em específico aconteceu com mais pessoa, se é normal, se melhora ou piora, ou se é ruim pra burro mesmo, e assim vai...
  Porque nem tudo são flores e amores, e um pouco de realidade vai bem nessa vida!
  Resolvi começar com livro que ganhei de uma pessoa que eu admiro e gosto com todo o meu coração (olha a POLÊMICA agora!). Se trata de “Nunca desista de seus sonhos”, do autor Augusto Cury. 


  A primeira vez que eu disse que havia abandonado o livro, quase apanhei! JURO.
  Não desmereço em nenhum momento ou ponto do livro a escrita ou capacidade do Augusto como escritor. Admito perante vocês que por algumas vezes cheguei sim a ser tocada e ficar pensativa com muitas coisas, mas o grande porém aqui é que livro de autoajuda/psicologia não cai bem em mim.
  Eu enrolo, fico usando o celular junto, se torna uma tortura ler qualquer coisa do gênero (e olha que se tem uma pessoa que precisaria devorar esse tipo de material, esse alguém mon amour, sou eu!)
  No caso de NDSS, cheguei a ler um pouco mais da metade, mas pergunta se lembro alguma coisa importante? Foi uma leitura forçada, na época tinha em mente que era quase um pecado abandonar um livro e tinha que fazer de um tudo para conseguir terminar. Ele foi o primeiro.
  O recebi em 2012, em um momento em que estava começando a realizar muito sonhos na minha vida e saindo de uma forte depressão, imagino que talvez por ter tanta necessidade na época de algo mais palpável do que um livro, tenha dado tão pouco para ele.
  Mas o Cury falando do tal do A.L. a cada página me torrou o pacova, disso me lembro muito bem! 
  Acabou se tornando um autor que não tenho vontade de adquirir as obras. 
  Um dia, em um futuro talvez nem tão tão distante (beijos Fiona) eu tento outra vez. 

  Você que já leu esse livro ou qualquer outro do Augusto Cury, o que me diz?
  Devo insistir ou abandonar o navio de vez? Responde nos comentários! 

Ah, e caso você queira usar a TAG no seu blog ou canal no Youtube, não esquece de falar que fui eu que criei, ok? Vamos trocar figurinhas! \o/

Até a próxima! 


4 Comentários

  1. Insistaaa, persista e não desista! Haha Os livros do Cury são recheados de questões sobre a vida para serem repensadas por nós, meros leitores <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como temos coisas para pensar! hahaha Anotado <3

      Excluir
  2. Já li essa obra e nossa amei... Minha paixão pelos livros do Augusto Cury começou com esse... O que mais me encanta nas obras do mesmo é que ele fala de algo real... Algo que nossa sociedade necessita ouvir e por em prática... Quem sabem o mundo seria melhor se isso acontecesse... Menos egoismo... Mais amor ao próximo... Não desista amiga, você ainda vai se encantar por esse autor... Grande abraço.... Bju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena que seu nome esteja em anônimo!
      Fiquei encantada com seu comentário aqui, dei umas duas ou três olhadas para o livro depois que terminei de ler.
      Obrigada por ter passado por aqui e ter deixado essa ponta bonita de esperança (vou aproveitá-la muito bem).

      Um beijo!

      Excluir