Ficha Técnica: My Mad Fat Diary
País: Reino Unido
Gênero: Comédia dramática
Inicio: Jan 2013
Fim: Jul 2015
Duração Episodio: 60 min
Temporadas: 3
Total de Ep's: 16




Hoje vamos com a maior paixão da minha vida!

Livros em sua maioria costumam dominar o ranking, mas quando se trata dessa série eu perco o chão.
Estou falando de My Mad Fat Diary. (Alo-oooow, tá no título Bruna...)
Eu tenho que admitir aqui publicamente que faço parte do grupo de pessoas que morre de ciúmes das séries que assiste e quando “descobre” alguma que não é tão conhecida, tenta guardar a sete chaves, enquanto ao mesmo tempo gostaria que o mundo fosse contagiado por ela. Mas tem medo do julgamento dos outros, de criticarem a série, e não gostarem, de não entenderem... E por ai vai.
Eu descobri a série por acaso em uma dessas tirinhas do face (na época que explodiam) e comecei a procurar mais. Foi tudo por causa da foto abaixo:


Uma garota gorda (eu) sendo irônica (eu) sarcástica (eu) falando algo daquele tipo (eeuu eeeu eeeeeu.) Fiquei mega curiosa e então encontrei tirinhas dela falando sobre os ovários dela explodindo. Ela. Raemundo. Minha crush <3


Então comecei a assistir e descobri que havia muito mais ali do que só nossa aparência parecida. Eu sou uma Rae. Eu sou “A” Rae.

 "De agora em diante as pessoas podem aceitar você por quem você é, ou eles podem se foder."
 
A série, situada na década de 1990, retrata a vida da Rae logo após a saída dela do hospital psiquiátrico depois de tentar se matar. Ela é orientada a escrever tudo, TUDO MESMO em um diário para ajudar em sua recuperação. Conta sobre os dilemas vividos a cada segundo, as decepções, o ser quem você é, os preconceitos, os padrões impostos, a busca por tentar ser perfeito para agradar os outros, por tentar ser amado de alguma forma, as novas amizades, os dramas vividos com elas, os problemas vividos dentro de casa quando se é um adolescente-adulto saindo da toca, o primeiro amor/namorado (será que sou alguma coisa decente o suficiente para merecer alguém como ele[a]?).

 "É mais fácil gostar de si mesmo quando alguém gosta de você, não é?"

Quem me conhece pessoalmente ou me acompanha nas redes sociais pessoais sabe que sempre fui MUITO acima do peso (50 kg acima, tá bom pra ti?) e o que passei e passo todos os dias. O quanto essa garota dos episódios se parece com um reflexo meu no espelho. Perfeito e sem nada o que tirar. 

Pessoas como eu (sem autopiedade aqui ok?) passam por coisas que ninguém mereceria passar. E assistir algo assim, ter algo do tipo em que se apoiar, ver o retorno da série e perceber que “cara, olha QUANTAS pessoas como eu. Olha quantas Rae’s por ai... Quantas Chloe’s, Artchie’s, Finn’s, Izzy’s, Chop’s”. E você se dá conta que existem sonhos para você também. Que você pode ser feliz, que existe um mundo inteiro só pra você e se não for aqui, ou acolá, vai ser em algum lugar. Se for para mudar, que seja porque você quer e porque vai te fazer bem, e não porque vai fazer com que aquela saia entre melhor na sua bunda e você consiga ser TALVEZ aceita em tal grupinho.


 Eu tenho essa sensação do qual eu não estou acostumada. Ela borbulha como cola de cereja e arrepia como beijos no meu pescoço. Eu acho que é chamado felicidade.

O mais bacana mesmo é que a Rae existe na vida real, com esse mesmo nome e a história foi toda feita em cima dos diários que também existiram onde ela escrevia sobre tudo na vida. Os diários viraram livros que infelizmente não foram lançados no Brasil, mas pra quem curte e sabe ler em inglês é só dar uma procurada que encontra fácil na internetês da vida. Existes eles traduzidos por fãs também!

Você vai rir demais com o humor ácido e irônico da Raemundo, vai chorar com ela e sentir uma vontade imensa de colocá-la nos braços para fazer cafuné.

"Eu acho você intensamente irritante alguns dias."

Dê uma chance para Rachel Earl, e se deixe envolver. E me conte se você conseguir assistir os episódios devagar. NINGUÉM CONSEGUE. haha

PS: Gostaria de deixar registrado também meu amor quase platônico pelo Dr. Kester. Esse cara salvou minha vida mais de 3 vezes com as sessões para a Rae, quando tudo estava desmoronando.


 "Eu gosto de conversar com você."

 
 "Legal pra caralho"

Espero que tenha gostado! Comenta aqui embaixo se vai assistir ou se você já conhecia a gangue! 



2 Comentários

  1. Ah minha querida amiga, que encontrei nas páginas das redes sociais da vida, que sorte eu dei! Teu texto conseguiu captar a essência dessa série incrível, e eu imagino que seja por causa dessa relação de proximidade com a Rae. Eu, também amo essa série, acho que tem uma profundidade que eu não encontro facilmente em outras. Suponho que isso se deve a compreensão de que a Rae é de verdade, que ela é tá lá, quarentona, mais saudável, mais magra, bem resolvida, bem sucedidade, sendo muito amada por milhares (se não milhões) de pessoas, ao redor do globo.

    Sobre assistir (devorar?!) a série, foi exatamente o que eu fiz. Vi todos os eps da 1ª e da 2ª temporada igual ao Flash. Noites e noites em claro! Agora, a terceira temporada eu degustei como se ela fosse um bom vinho, sabe?! Posteguei o máximo. Namorei o último episódio durante uma semana, antes de dar o play. Porque eu sabia que era isso, era o fechamento, teve um começo, um meio, e um fim (fim?!). Não exatamente né?! Porque a vida continuou pra ela, ela foi pra faculdade (SPOILER), se desprendeu das amarras e dependência da gang, ela conquistou coisas novas, ela sobreviveu.


    Quanto as Raes que existem por aí, a gente encontra uma em cada esquina, tantos disturbios alimentares, tanto desamor, tanta aversão pela própria figura. Eu, já me aproximando dos meus 30 anos, posso pretenciosamente dizer que consigo ter uma visão mais ampla da vida. Percebi que com o tempo os problemas se amenizam, que existem pessoas lá, que vão te amar do jeito que você é, as coisas vão acontecer pra você também, estando magra ou gorda.

    Enfim, continue escrevendo, minha querida amiga Bru, você se expressa muito bem através das palavras. Conte comigo e conte com o grupo do MP <3

    Um beijo da Anônima Ju!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha linda!
      Demorei tanto para conseguir responder porque nunca nenhuma palavra que eu pensava parecia ser o suficiente e estar a altura desse texto lindo e tão doce.

      Agradeço demais e vou sempre continuar agradecendo por todo o carinho e pela força que me deu, sendo uma completa desconhecida do grupo de MMFD!

      Acho que consegui colocar pelo menos um pedaço do meu coração nessa resenha sobre a série, alguma parte que seja. Ela é a responsável por eu estar aqui hoje e me entregar para escrever sobre, era o mínimo que podia fazer.
      Fico feliz demais que tenha gostado!

      O mundo precisa de pessoas como você, do seu mar de açúcar chamado doçura!
      Obrigada... Sempre obrigada.

      Beijos enormes

      Excluir