Resenha A Garota da Capa Vermelha
Título: A garota da Capa Vermelha
Autor: Sarah Blakley-Cartwright e David Leslie Johnson
Editora: Editora iD
Páginas: 339

Sinopse: O corpo de uma garota é descoberto em um campo de trigo. Em sua carne mutilada, marcas de garras. O Lobo havia quebrado a paz. Quando Valerie descobre que sua irmã foi assassinada pela lendária criatura, ela acaba mergulhando de forma irreversível em um grande mistério que vem amaldiçoando sua aldeia por gerações. A revelação vem com Father Solomon: o Lobo habita entre eles — o que torna qualquer pessoa do vilarejo suspeita. Estaria Peter, sua paixão secreta desde a infância, envolvido nos ataques? Ou seria Henry, seu noivo, o Lobisomem que assola as redondezas? Ou, talvez, alguém mais próximo? Enquanto todos estão à caça da besta, Valerie recorre à Avó em busca de ajuda; ela dá à neta uma capa vermelha feita à mão e a orienta através da rede de mentiras, intrigas e decepções que vem controlando o vilarejo por muito tempo. Descobrirá Valerie o culpado por trás do lobo antes que toda a aldeia seja exterminada? A Garota da Capa Vermelha é uma nova e arrepiante versão do clássico conto. Nela, o final feliz poderá ser difícil de ser encontrado.


Esse foi o primeiro livro que li para a Maratona de Primavera – Clique aqui para conferir o post com o vídeo sobre – e como estava no gás pela minha primeira maratona, li o bonito que nem vi!

Mas, como nem tudo nessa vida são rosas, infelizmente esse veio carregado no espinho.

“Meu Deus Bruna, é tão ruim assim?”

PIOR. Mas, nem tudo está perdido. Posso me explicar!



A obra é uma adaptação do filme, A Garota da Capa Vermelha. O comprei bem quando lançou, pois existiam comentários maravilhosos a respeito do filme e o livro não ficava para traz! Demorei esses anos para ler, e o bichinho ali, guardado. Só esperando.

Se analisarmos o roteiro do livro, é uma história muito bem pensada e tinha tudo para dar certo. Mas, infelizmente, ele não foi bem escrito. Nas suas 300 e lá vão cacetadas páginas, você (eu) pensa que poderiam ter sido perfeitamente só umas 50 ou 100, no máximo, que estava bom demais.

As partes que te envolvem, que te fazem querer continuar a leitura, são muito poucas e esporádicas. Quando você esquenta e pensa “EITA GIOVANA, AGORA VAI”, a autora vai e te esfria!
Valerie é uma completa sonsa, e o Peter não fica nada atrás. Em mais de 90% do livro, não consegui sentir o romance que ele dá tanto a entender, por mais que a estória enrole tanto justamente em cima disso!

ENTRETANDO, todavia, e assim por diante, não tiro o mérito da escritora em seus lapsos de intensidade –aká– criatividade. Todo o troca troca de quem é o lobo (é fulano! Não, não é, é ciclano! CAPAZ. É BELTRANO!) Me confundiu várias vezes, apesar de ter tido as suspeitas desde o início. Haha Esse foi um ponto que me divertiu bastante no livro e ajudou a render!



Acho realmente uma pena que o livro em si seja tão fraco. Se a história tivesse sido melhor aproveitada, se tivesse sido escrita de forma mais madura e crescente, teríamos aí meus queridos e queridas, uma bela obra nas mãos!

Falando do livro em si, ele possui um trabalho muito bonito. O material das folhas é de uma qualidade bem gostosinha de ler, papel mais grosso e poroso, com folhas amarelas e letras grandes. Tem páginas enfeitadas a cada mudança de parte do livro (primeira parte, segunda parte...) e pequenos detalhes a cada capítulo e separação de textos com diferença temporal e/ou de assunto dentro de um mesmo capítulo. A capa possui orelha e é feita de material mais grosso, não é tão fina. Além das letras metalizadas!

O final é decepcionante pois você espera descobrir que pentelhos irão acontecer na realidade depois de tanto sofrimento, e se depara com uma porcaria de uma beijo.
Porque estou contando isso? Porque esse não é o final verdadeiro! O final verdadeiro está no site da editora, que você pode conferir acessando aqui (por sua conta em risco).
Isso foi feito na época pois o livro foi lançado junto com o filme, e assim não geraria um big spoiler!

Dizem que os livros novos estão vindo com o final definitivo, sem essa frescura nos fundilhos.

E não. Mesmo depois de ler o final verdadeiro não gostei mais do livro. (Apesar do choque.)

Para quem procura uma versão alternativa do conto infantil e quer se aventurar por um pouco de "romance" e delírio de uma autora meio aloka, fica aqui uma opção.
Mas EU não o leria de novo. </3
Acho que uma vez foi o suficiente para conhecer e guardar no fundo do pâncreas.

Update: a amigs do @Nuncavouparar me lembrou de um detalhe MEGA importante. 
Não consegui sequer assistir ao filme. Me traumatizei tanto, que com 10 ou 12 minutos de filme, sai desligando tudo. VALERIE. PORQUE TÃO SONSA, FILHA? 




only 2 :(


Beijocas meus amores, e até a próxima! ♥


4 Comentários

  1. Eu tenho TANTA vontade de ler esse livro, apesar dele não ter te agradado tanto quando poderia e eu ter entendido os pontos negativos que você cita é uma coisa que eu preciso ler para saber, entende?! Sinto isso com esse livro, talvez por ter gostado do filme... não sei, mas enfim, parabéns por escrever tão bem e de uma forma que fica tão gostosa de ler, hahaha.
    Estou seguindo e adorando o blog!
    Beijos.
    Tenho um blog no qual falo sobre filmes, series e cultura no geral. Se puder dar uma conferida ficarei muito grata: http://cineleva.blogspot.com/ :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Willma!
      Olha, apesar de todos os pesares bem doloridos com esse livro, o que mais me encanta nele é a diversidade de opiniões a respeito da obra!
      Tem muita gente que não gosta mas o que tem de gente que gosta...
      Vai muito de pessoa para pessoa, e penso que qualquer livro, seja ele do gênero que for, merece ser lido! As vezes vai ser uma vírgula fora do lugar que vai te pegar como não conseguiu pegar a mim.
      Desejo uma leitura magnífica para você e volte para me contar o que achou! ♥
      Muito obrigada por fazer parte da nossa estante agora.
      Seja bem vinda!
      Beijocas ♥

      Excluir
  2. Eu sempre tive vontade de ler esse livro. Eu vida o filme mas não me interessei muito, não dei muita bola na época que vi. Agora lendo essa resenha, fiquei com muita vontade de assistir ao filme de novo e ler o livro, mesmo você dizendo que não é "lá essas coisas". Como disse a amiga acima, eu preciso ler prae convencer rs. Só aumentou a vontade de comprar o livro rsrs. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lê!
      O seu comentário me fez ter vontade de tentar assistir ao filme de novo, acredite!
      O que me atrai nos livros é o livre arbítrio que eles nos proporcionam.
      Leia com seu coração aberto e absorva tudo o que puder dele, ok?!
      Volte aqui e me conte o que achou, já quero saber!
      Obrigada por comentar.
      Beijocas ♥

      Excluir