Título: Os Noturnos
Autora: Flavia Muniz
Editora: Moderna
Coleção: Veredas
Páginas: 144

Sinopse: “Um vampiro é reconhecido pelo brilho momentâneo em seus olhos, quando as pupilas de dilatam numa fração de segundo, para se contraírem em seguida. Quem o reconhece sente uma tontura fugaz, semelhante à breve volúpia de deslizar por uma montanha-russa.”
   Misterioso livro encontrado por André, na biblioteca, o leva ao antigo parque na esperança de satisfazer seu desejo de conhecer um verdadeiro vampiro.
   Amor. Sedução. Terror.
   Experiência impressionante vivenciada por um garoto que enfrenta o desafio de crescer.


Resenha: André é fascinado por vampiros desde cedo, seu pai era o único a compreender sua admiração por este mito.  Um dia pesquisando na biblioteca encontra “O livro maldito dos vampiros” e sem titubear ele mistura com seus livros de escola e leva para casa. Seria impressão sua ou o bibliotecário sorriu misteriosamente para ele?

 
   O garoto então decide seguir um ritual para chamar um vampiro. Ao longo dos sete dias, ele recebe sinais de que fez tudo certo, e é a partir daí que as coisas começam a acontecer.
   Para todas as pessoas que estão próximas a mim não é segredo nenhum o quão apaixonada por vampiros eu sou, desde muito nova. A ideia da imortalidade, o sangue como a bebida da longetividade, toda a sedução por trás do mito em si sempre me atraiu bastante. E então um belo dia encontro Os Noturnos na biblioteca do colégio. No colégio. No Brasil. NO INTERIORRRRRR.
   A extrema euforia no comentário acima se deu pelo motivo simples de: nas escolas em que eu estudei, nunca se encontrava nada tão exótico assim! Como eu não comprava livros na época e nem sabia onde encontrar coisas do tipo, foi algo “MEU DRÁCULA! UM LIVRO DE VAMPIROS!” .
   Então eu li, li outra vez, li mais outras tantas e ele acabou ficando comigo pois de tanto emprestar a obra, a bibliotecária no final do ano quase me empurrou goela abaixo. Hahaha
   É um livro simples, sem muitas coisas mirabolantes. Você consegue sem problemas imaginar a sua cidade ali, basta ter um bosque ou parque com boas árvores (eu mesma depois de tantos anos fico esperando que o Hiram saia do bosque daqui sempre que passo por lá à noite.)
   Mesmo nessa simplicidade, a autora consegue fazer com que nas narrações você inale os odores do ambiente (sempre que leio, sinto uma vontade absurda de ir no tal bosque), puxe para si as sensações e angústias das personagens, se sentindo sempre muito próximo do André, Ana Paula, Hiram e até mesmo Luke.
   Infelizmente não dá para contar muitas coisas a respeito de Os Noturnos aqui, uma letra a mais e o livro inteiro se entrega à sua frente.
   Posso dizer apenas que é uma leitura fascinante, divertida de verdade.
   Com aqueles mocinhos que você vai torcer a cada segundo e vilões do qual vai odiar com cada célula do seu corpo.
   Procure na internet e dê uma chance para os vampiros nacionais. 





Peço mil perdões pela qualidade das fotos. Bateria da câmera estava acabando e tive que tirar correndo! :(

 Até a próxima resenha!  



2 Comentários

  1. Bruna, amei saber que você gostou do meu livro. Adorei criar essa história, a primeira edição foi em 1995 e a segunda em 2005. Lá vem a continuação... afinal... para um vampiro, o tempo não passa.

    ResponderExcluir
  2. Bruna, amei saber que você gostou do meu livro. Adorei criar essa história, a primeira edição foi em 1995 e a segunda em 2005. Lá vem a continuação... afinal... para um vampiro, o tempo não passa.

    ResponderExcluir